sábado, 21 de maio de 2016

A estação dos pesares


Beba os passos de um homem fracassado
Beba, beba, até perder o fôlego
A admiração cai para os desacreditados
O efeito colateral do duplo sentido consome e desaprova sem receios

É tarde demais para cobrir os olhos refletidos pela lua do norte
É tarde para apreciar possibilidades
Descanse as bençãos nos distorcidos
Gritaram a respeito de uma velhice sem histórias e intensidades

Um mundo sem simpatia envolve suas quedas
Um mundo que perdura armas silenciosas
Finalmente um estado sem luta será aceito
Escute a estação dos pesares em consentimento

Porque contaram fatos diretos compostos por incertezas?
Porque ouvir falsas alegações?
Espere andar em círculos para quebrar a todos
O tempo desacreditado para o hoje se tornará eterno        

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário